quinta-feira, janeiro 05, 2012

A Videira

Faz ideia de que, em todo o mundo, existem mais de seis mil variedades de videira? Não? Mas há. Porém, do ponto de vista enológico, a família das Vitáceas é a mais importante, já que a ela pertencem o género vitis e a espécie vinifera, que assim é a que produz as uvas usadas no fabrico do vinho. Mesmo assim, os outros tipos de videira não deixam de ter a sua importância, pois podem ser usados, em determinadas situações, como porta-enxertos ou cavalos da Vitis vinifera. Foi assim que, na Europa do final do século XIX, se conseguiu ultrapassar a crise da filoxera: enxertando sarmentos das espécies vulneráveis noutras videiras cujo tronco era resistente à doença. Essa técnica ainda é usada actualmente.

  • Enquanto planta, a videira é composta por duas partes:
A parte aérea, que é constituída pelo tronco ou cepa e pelos braços, em cujas extremidades se encontram as varas, a partir das quais saem primeiro os pâmpanos, depois as folhas e em seguida as inflorescências. São as inflorescências que, mais tarde, dão origem aos cachos;
A parte subterrãnea, as raizes, que tem como função fixar a planta à terra e absorver os nutrientes. Pode crescer em largura e em profundidade, dependendo das caracteristícas do terreno.