quinta-feira, outubro 11, 2012

Pinot Noir

É difícil de cultivar, difícil de vinificar, mas ainda assim os produtores de todo o mundo são atraídos por esta casta temperamental, sentindo-se tentados a experimentar igualar o estilo clássico dos melhores vinhos borgonheses.

Origens francesas

Borgonha e Champagne. Utilizado igualmente em alguns dos tintos leves e rosés do Loire e no vinho tinto da Alsácia.

Outros locais onde é cultivada

Califórnia, Oregão, Austrália, Nova Zelândia, um pouco na África do Sul. Bastante importante na Europa Central - Sul da Alemanha, Suiça e zonas a leste - mas um tanto rara ao longo do Mediterrâneo. Qualquer um que faça espumante segundo o método tradicional champanhês é provável que utilize Pinot.

Notas Aromáticas

Na sua juventude pose possuir aromas leves a frutos vermelhos, tipicamente framboesa, morango e cereja marashino. Em algumas regiões da Califórnia e da Austrália possui igualmente uma nota subtil de grãos de café ou moca. Possui quase sempre um elemento de carne- carne de vaca nos vinhos novos, tendendo para caça bem curtida à medida que envelhecem, sobreposto nos melhores, por uma extraordinária pungência de trufa negra. Os vinhos classicamente (ou notavelmente, dependendo dos gostos) maduros podem ainda exibir um aroma rançoso, polidamente descrito como "de capoeira", designação que na verdade se refere ao que se pode pisar ao atravessar a capoeira.