terça-feira, outubro 09, 2012

Vinho a copo

O "vinho a copo" reúne cada vez mais adeptos, especialmente tendo em conta o dinheiro que se paga por algumas garrafas. Além disso, permite consumir vinhos diferentes na mesma refeição e evitar desperdícios quando não se bebe mais do que um copo. Também o facto de, nos últimos anos, o grau alcoólico dos vinhos ter subido pode levar as pessoas não sejam tentadas a beber tanto nem que se sintam obrigadas a optar por outra bebida, por exemplo, antes de conduzir, se estiverem sozinhas à mesa. A boa receptividade desta alternativa originou, nas cartas de vinhos a diminuição de oferta de meias garrafas. Os profissionais de restauração acabam por ganhar mais dinheiro com isso, podendo promover marcas pouco conhecidas ou sugerindo um copo de vinho para acompanhar uma refeição mais simples, como um prego, ou uma entrada de queijo.
Neste serviço, a quantidade a servir por copo deverá ser, idealmente, um quinto de uma garrafa de 750 mililitros, ou seja 150 mililitros por copo. Se fosse aplicada a mesma regra ao preço, um copo de vinho custaria um quinto do preço apresentado na carta por garrafa. Contudo, nos restaurantes que apresentam esta alternativa, o preço de um copo de vinho é normalmente um quarto do preço da garrafa. Embora deva considerar eventuais riscos de perdas e prever o gasto com a abertura de uma garrafa que pode não ser consumida na totalidade, o preço do vinho a copo não deve ser desajustado. Aliás, se for demasiado caro, deixa de ser uma alternativa ao consumo de uma garrafa.